sexta-feira, junho 6

Fazendo 17, lembrando os 16

Contrariando a normalidade, acho que eu sou uma das poucas adolescentes que não gosta de fazer aniversário. Narcisista como sou, é claro que sou apaixonada pela ideia de ter um dia "meu", mas o que antecede essa data é basicamente agonia e um pouco de aflição. Meio depressivo né? Fazer o que, puxei minha mãe! (ela também não curte muito ficar um ano mais velha haha). Tem gente que chama isso de "efeito Peter Pan", e eu não conseguiria pensar em um nome melhor.
Ainda assim, nada impede de rever esse ano que se passou com um olhar nostálgico e lembrar dos melhores momentos dos meus dezesseis! E acho que, como eu passei a maior parte desse meu ano afastada do blog, esse post é, além de uma pequena terapia pra mim, um ótimo jeito de mostrar pra vocês o que andou rolando comigo antes de voltar a bloggar!

Típica foto leitura de avião + passagem + RG com o bônus do ingresso do Rock in Rio!

Esse último ano da minha vida foi batizado por muuuitos shows! De festivais como Rock In Rio (que foi insano, diga-se de passagem, realmente cumpriu as espectativas que eu tinha!) e Federal Music a David Guetta, Ivette Sangalo, Claudia Leitte e até MC Kuringa e todo o seu funk carioca na última festa top que rolou por aqui. Foram muitos looks pró conforto, muitos calos, muitas liguinhas de cabelo e muitos afters com a voz super rouca haha. Needless to say, valeu muito a pena.

Pulseirinahs e ingressos do dia em que alguns amigos nossos comemoraram seus aniversários na Hog com atração especial do Thomas Gold! Foi bom demais!

Uma coisa que muda muito dos quinze para os dezesseis é, sem dúvidas, o seu nightlife. As festinhas de 15 anos ficam cada vez mais escassas (saudades eternas) e começam a surgir as baladas e as festas de 18. No começo é tudo muito novo, é divertido, é diferente, mas depois de um tempo a gente começa a sentir de fato saudades das Havaianas haha. É uma aura e uma dinâmica diferente, mas que eu fico feliz quando aparece de vez em nunca uma festinha de 15, isso eu fico haha.

Minha turma linda! Segundo D pra sempre

Acho que a maior mudança que rolou comigo durante meus sixteen foi a transição do ambiente escolar. Eu, que estudava desde os 4 aninhos na mesma escola, resolvi dar uma agitada nas coisas e, aos 45 minutos do segundo tempo, mudai de colégio. Foi quase como sair do ninho, cortar o cordão umbilical, mas foi uma mudança boa. O grupo de amigos não mudou nadinha, apenas se expandiu, e a minha escola antiga? Visito sempre que posso. É um laço que nunca vai se romper, mas existem mudanças necessárias, e essa foi uma delas.

Um pedacinho da galera junto no Carnaval! Melhores 3 dias não existiram até hoje.

Como disse acima, os "meios dos anos" de 2013-2014 foram uma grande expansão nas minhas amizades. Mudar de escola me fez conhecer muita gente nova, isso é claro sem esquecer das amizades antigas. Muitos amigos partiram também, foram estudar em outros países, mudaram de cidade, de continente... Ainda assim, mantenho contato com todos e não vejo a hora de todo mundo voltar!

No George Pompidou ao lado de um Picasso. A cara podia estar séria, mas o coração tava sorrindo.

Além dos ocasionais "pulinhos" no Rio e em João Pessoa, nos meus 16 anos eu pude visitar novamente uma das minhas cidades favoritas no mundo, além de conhecer um país ao qual sempre tive vontade de ir. Paris&Portugal foi uma viagem fantástica, creio que a melhor até agora. Conheci lugares novos, voltei a lugares velhos, fiz algumas comprinhas e comi uns 30 quilos de muito queijo, pão, fois gras e tudo que a Europa tem de melhor na sua cozinha (ou seja, basicamente tudo o que pode ser cozinhado haha). Foi uma viagem de muita união e inúmeros momentos bons que vão estar sempre arquivados em um lugar especial da minha memória.

Post no insta lacrando o Amaro em uma das primeiras publicações do blog. Esse aí foi o primeiríssimo look da segunda fase!

Por último, não poderia esquecer de dizer que foi com 16 anos que eu resolvi que estava na hora de voltar com o blog! Quase que no finzinho dessa fase a saudade começou a bater forte e me fez pensar, "porque não?". E não existia motivo; dei a cara a tapa e voltei. Bom, o resto vocês já sabem.

Essa aqui é uma fração desse ano que se passou no calendário da minha vida. Posso não querer fazer 17 agora, mas se o próximo ano for tão bom quanto esse que acaba hoje, ai vocês vão poder finalmente começar a me chamar de museu, pois não existirá no mundo pessoa mais nostálgica que eu :)

2 comentários:

  1. Que lindo Teddy! Nao sei se ja passou ou nao seu aniversario mas parabens e tudo de melhor sempre! Fico feliz que tenha voltado com o blog, sempre leio e gosto muito!!! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, muito obrigada!!! Tudo em dobro pra você amore, fico muuuuito feliz que você esteja gostando do blog!!
      Beijos :)

      Excluir

Esse espaço aqui é de vocês meninas! Comentei, perguntem, conversem, tricotem... pode fazer de tudo menos falar mal da blogueira hahaha :)
Beijos!