sábado, agosto 30

CFW: Pensamentos Finais

Uma coisa que aprendi na minha trajetória rumo ao auto-conhecimento (trajetória na qual eu ainda apenas arranho as beiradas), é que eu sou um indivíduo que precisa de uma palavra que fica tão linda no inglês que eu até esqueço como se diz na minha língua nativa: closure. Finalização, sabe? Seja um ponto e virgula, como um "até mais ver" ou um ponto final, mais para "adeus".
Isso ta valendo pra tudo, tudo mesmo, inclusive eventos de moda de cinco dias aos quais sou convidada a botar meu "chapéu de blogueira" (e, nesse caso, existiu realmente um chapéu) e reportar com sinceridade a minha opinião sobre o que rola por lá. O evento em questão foi o Capital Fashion Week, e como sinto que não fui aberta o suficiente sobre meus pensamentos em relação a ele, resolvi escrever esse post única e exclusivamente para spill out minhas opiniões sobre o maior evento de moda do Centro-Oeste.

Backstage de Viviane Kulczynski por Paulo Fernando

Bom, sinto que esse foi um Capital excepcionalmente nostálgico, dado que esse ano se completa uma década de CFW. Logo, com esse sentimento no ar, era fácil encontrar pessoas relembrando as primeiras edições do evento. Edições as quais eu não compareci, pois tinha menos de cinco anos de idade e não sabia nem o que era um blog ainda (eles existiam a dez anos atrás? Acredito que não). De qualquer maneira, uma mudança considerável foi apontada: o CFW, que antes era uma grande semana de moda, com celebridades (essas eu cheguei a pegar um pouco) e marcas conhecidas se despiu de seus floreamentos e se tornou um evento um tanto quanto mais regional, com marcas, modelos e profissionais exclusivos de Brasília. Por um lado, acho bom que a produção do evento tenha percebido o potencial de design que tem na capital do Brasil, mas por outro, não parece um pouco que o evento está diminuindo, ao invés de crescendo?
E por falar em potencial, é basicamente isso que vejo quando alguns estilistas desfilam suas coleções. Se arrastam pela passarela criações que são ainda diamantes brutos, que não receberam a lapidação necessária para brilharem seu máximo, ou nesse caso, o investimento que precisam para levarem suas ideias ao próximo nível. Investimento em produção, costura, tecido... Esse tipo de mudança que eu julgo ser a mais necessária.
Por fim, acho indispensável um crescimento no marketing do evento. Trazer mais visibilidade, exibir nossa moda, "amostrar" mesmo o que nós temos a oferecer, tornar um passe para o Capital objeto de desejo e fazer com que as pessoas de outras cidades queiram se vestir como as pessoas de Brasília. Isso tudo só acontece por meio da publicidade e da propaganda, das estratégias de marketing e do trabalho duro para tornar Brasília uma capital mundial da moda.
Eu, como boa otimista que sou, tenho fé que esse dia ainda chegará. Se as escolhas certas foram feitas e os caminhos corretos, tomados, não haverá espaço para "pequeneza" na moda brasiliense.

sexta-feira, agosto 29

Red Carpet: Emmy Awards 2014

Promessa é divida! Depois de ter feito aqui o Red Carpet do VMA, já era hora de comentar, mesmo que um pouco tardiamente, os looks das famosas no Emmy! Fiquei esperando por essa premiação deeeesde que a Warner começou a soltar suas propagandas em meados de Julho, já era hora dessa noite chegar pra eu matar minha curiosidade das produções das celebs, né? 

Lena Duhnam: AI GENTE, QUE DÓ! Falei desse vestido aqui, lembram? Do quanto estava apaixonada por essa coleção e de como eu não pouparia unhas e dentes pra colocar as mãos nela antes de qualquer outra cebelzinha que ousasse desfilar no meu red carpet. AGORA, da pra acreditar que quem conseguiu vencer essa luta foi Lena-descolorida-Dunham?! Assim, nada contra, adoro Girls e acho ela uma figura, mas pelamordeDeus, vamo fazer jus ao vestido né? Na minha cabeça não existia maneira possivel de deixar esse Dress feio, agora já sei que tem sim, né Lena?
Kaley Cuoco: Tirando o corte joãosinho que eU NÃO SEI COMO O PESSOAL DE TBBT DEIXOU ELA FAZER eu curti o look. O vestido é bonito e vestiu lindamente, criando uma cinturinha que meu jesus cristinho, invejei. Se ele fosse um tiquinho mais comprido eu gostaria mais, that aside ta gatíssima.
January Jones: Uma confissão a fazer: sou viciada em Mad Men. E como boa mad freak que por acaso também é apaixonada por moda eu dou alguns bons gritinhos sempre que miss Betty Draper/Francis entra em cena com seus looks super 50s/60s, seus vestidos rodados, tons pastél e figurino que marca de longe como o melhor da série. O problema é que, quando você se apaixona assim pelo estilo de uma personagem, ve-la fora das telinhas usando qualquer coisa que não seja exatamente o que a sua personagem usaria, a coisa de cara perde a graça. January Jones pode até ter ficado bem nesse Prabal Gurung (só no Prabal, né, porque essa franja ensebada ta nojo and don´t even get me started on the shoes...), mas se tivesse arrastado um Dior a lá Grace Kelly como faz em MM, ai o nível realmente não teria sido o mesmo.
Hedi Klum: Simples e chic. Adoro essa cor e o corte caiu super bem. Não é nada e espetacular mas ficou bem elegante.
Katharine Heighl: Bruxa má convertida, ou só eu acho essa golinha super vilã da Disney? Detestei o tecido, detestei a manga e detestei a costura, só gostei da cor e, claro, de ver a Katharine, que ta sumida e é um amor.
Sofia Vergara: Arrasa sempre e sempre!! As vezes me irrita um pouco que ela não mude nem o estilo do cabelo, mas pra que mexer em time que ta ganhando, não é isso que dizem por ai? Achei só que houve um exagero na parte das jóias, mas Sofia segura. Caliente!
Kerry Washington: Foi de armadura medieval. Aliás, não entendi esse dress até agora. É laranja, tem brilhos, é longo mas tem uma master fenda que revela outro vestido por baixo... mais complicado que citologia avançada isso ai. Na minha opinião Kerry raramente acerta, e essa não foi uma dessas poucas vezes.
Julia Roberts: Esse Ellie Saab causou frisson durante a semana de moda de Paris e, apesar de achar que Julia está radeante dentro dele, não acho que ela é a pessoa certa para ele e este não é o lugar certo para usa-lo. Esse modelo de vestido é extremamente jovial, e Julia, apesar de bem conservada, ta longe de ser uma adolescente a lá Bella Thorne para usar esse dress. Se fosse eu, escolheria um award mais despojado e tiraria uns bons cinco centímetros de vestido, mas o sorriso dessa mulher apaga qualquer erro, né minha gente?
Claire Danes: Ficou tão apagada qu ta parecendo um cabide segurando o vestido, que, aliás, não foi muito do meu gosto não. Talvez se tirassem essa monstruosidade do pescoço e acrescentassem um pouco mais de volume na saia o resultado final fosse outro e aí, quem sabe, eu teria gostado dessa produção. 
Camila Alves: DIVA! Me diz o que é essa perfeição senhor? Muito orgulho de ser brasileira tendo uma representante dessas arrastando seu boy magia pelo red carpet em Hollywood. Não mudaria uma costura, ta perfeita!
Hayden Penetierre: Ta tão linda gravidinha, amei! Tirando a telinha e o master decote que, ao meu ver, não é la muito apropriado para gestantes, eu curti bastante esse vestido. Dificilmente gosto das produções da Hayden porque acho que ela combina demais e acaba exagerando no resultado final, mas dessa vez acho que ela conseguiu fechar o look just right.
Kristen Wiig: Eu ia até zuar a simplicidade do vestido falando que parecia cortina, lençol e tals, mas depois de olhar detalhadamente esse Vera Wang, percebi que a beleza dele está justamente nisso, e quem rouba ela e deixa a produção triste são os acessórios mal escolhidos. Imagina ele com uma sandália dourada, por exemplo. Já ficou outra coisa, né? No mais, acho que esse é um exemplo perfeito de como a postura afeta a apresentação de um vestido. 
Nem precisa ressaltar o quanto o vermelho e o blush foram queridos nesse red carpet. De variações dos tons, a única que realmente se destacou das demais em relação a cor foi a eterna Roberts. Entretanto, ela não está na minha lista de mais bem vestidas do evento. Nessa, apenas Camila Alves me impressionou o suficiente, desbancando por pouco a musa latina Sofia Vergara. Já na minha seleção de piores looks, Kerry Washington, Katherine Heighl e, tragicamente, Lena Duhnam no mais incrível dos Giambattista Valli´s assinam embaixo. 
Pela milésima vez achei a premiação sem sal. Looks nem muito lindos, nem muito feios, apenas uma eternidade de produções legaisinhas que deixaram a desejar por isso ou por aquilo. Agora, depois dessa overdose de premiações eu quero mesmo é relaxar, descansar os olhos e passar um tempinho sem ver veludo vermelho na minha frente! Hahaha

quinta-feira, agosto 28

Look do Dia: Polka (CFW #3)

Esse blog ta uma confusão, né? Haha, nem acabei os posts do Capital e já tem mil outras coisas pra cobrir! Mas vamo que vamo que um pouquinho de desordem (organizada, claro, do jeito que minha desordem sempre é haha) nunca fez mal a ninguém!
Se existe uma coisa que podemos prever em uma semana de moda, é o imprevisto. Por isso, sempre que uma fashion week vai se aproximando, já separo todos os meus looks e faço uma seleção premeditada dos cabelos e makes que os acompanharão. Tudo isso para que durante a semana eu não me perca no meio do caos e correria e acabe perdendo tempo de cobertura. Uma ideia muito esperta, claro, mas vez ou outra falha.
Nessa Capital, por exemplo, botei em prática esse mantra e saí no primeiro dia com o looks dos três próximos já em mente. Um desperdício, se me perguntarem, dado que além da produção do dia seguinte, nenhum outro planejamento foi seguido a risca. Pra começar, compareci um dia a menos, encerrando minha cobertura bem prematuramente. Além disso, também tive a infelicidade do clima do dia não comportar o outfit que queria usar.
No meio desse dilema, fui jogada novamente ao guarda-roupa, dessa vez com pouco tempo e muita pressa, para escolher once in for all o look do terceiro dia de Capital Fashion Week.


Camiseta: Armani
Saia: Amanda Brasil
Cinto: Burberry
Bolsa: YSL
Salto: Chanel
Óculos: Prada

Nesses momentos de sufoco não tem nada melhor que recorrer às roupitchas mais novas. Essa saia de bolinha tinha acabado de chegar da Joana (minha ultra mega top costureira, pra quem não sabe) e nunca tinha sido usada. Apesar da estampa gritante, ela é uma peça bem básica, o que me possibilitou essa mistura de estampas preservando os tons de base das roupas. Arrematei esse mix de marinho e preto com meu cintinho de couro favorito e mais uma vez priorizei o conforto e a praticidade nas minhas escolhas de sapato e bolsa. O óculos e o brinco trouxeram o glamour que faltava e influenciaram muito no resultado final, que me deixou me sentindo uma bela de uma dondoca fashion! Haha

quarta-feira, agosto 27

CFW: Um pouco mais sobre as modelos do evento

Quem entende de moda, compreende o mercado e se liga nas formas da temporada para fins profissionais, observa e analisa cada costura que passa pela passarela. Já quem não tem aspirações tão intensas assim, aproveita a época de fashion week para ficar de olho nas modelos que passeiam pelo evento mais do que nas roupas. Eu, que pretendo trabalhar na área de jornalismo de moda, presto bastante atenção nas criações dos designers. Porém, ao mesmo tempo, sou uma adolescente que cresceu entre Giseles, Alessandras e Caras, ou seja, não deixo as modelos passarem despercebidas. 
Entretanto, como é o "pessoal das modas" que cobre e reporta esse tipo de evento, o rosto das meninas que cruzam a passarela tem mais a mostrar do que a dizer, e eu, como híbrida dos dois "povos", fui atrás de descobrir o que rola na cabeça (e na vida!) das modelos do outro lado da cortina. 

Por Paulo Fernando

Com uma bela cara de pau e muitas perguntas a serem respondidas, conversei com algumas modelos em seu line-up para saber um pouco mais de sua carreira, seus sonhos, trabalhos passados e, claro, segredinhos de beleza pra arrasar que nem uma model! Haha
De cara, uma surpresa; Larissa e Ana - minhas duas primeiras entrevistadas - tinham, respectivamente, quinze e catorze anos! Como lidar?! Hahaha... Elas me contaram que ingressaram nessa carreira aos treze anos com ajuda de olheiros, uma boa agência e, claro, muita força de vontade "Mandei minha foto para uma agência e eles me selecionaram!", diz Larissa, provando que não é apenas "sentar e esperar", tem que correr atrás. 
Ana e Larissa admitiram estar entre as mais novas do evento, mas a faixa etária das meninas que desfilam no Capital não vai muito além não. Dezesseis, dezessete, dezoito... Tinha até modelo estudando pro vestibular lá atrás! Mas nem só de baby faces vivem as semanas de moda, a experiência também conta muito nessas horas "Já faço o Capital a dez anos", diz Leticia, que com vinte e seis anos bota muita novinha no chão. 
Enquanto Leticia se mostra veterana no evento, Isaelle confessa uma surpresa "Entrei pra agência tem um mês, esse é o meu primeiro trabalho", admite a modelo que aos poucos ia jogando para escanteio o nervosismo e a timidez. Mas apesar de em graus diferentes da carreira, ambas compartilham o mesmo sonho: trabalhar fora do país. Letícia já realizou esse mérito, mas Isaelle, de apenas dezesseis anos, ainda vê esse feito como um sonho distante. Assim como Ana e Larissa, cuja maior realização seria desfilar na semana de moda de Nova York.
Agora, se existe uma coisa que todas elas compartilham (na verdade está mais para uma raiva que todas elas me dão haha) é a maneira de cuidar do corpo. Estava esperando ouvir sobre dietas malucas e treinos absurdos quando perguntei as meninas o que faziam para ficar em forma, mas o máximo que escutei foi um "Não como tanto chocolate quanto gostaria". Pra dar um tiro, né? Haha
Por fim, todas afirmaram estar tendo uma ótima experiência no Capital. Mesmo para aquelas que estão estreando agora ou pra quem desfila desde o comecinho, o CFW é sempre uma boa pedida.
Adorei conversar com as modelos do evento. De primeira elas foram um pouco relutantes, não acostumadas com esse tipo de midia e de entrevista, mas aos poucos foram se deixando levar e entrando na brincadeira. É bom ouvir um pouco mais de quem está realmente "por dentro" das criações. Uma mudança de fonte é uma mudança de perspectiva, e uma mudança de perspectiva agrega na formação de uma opinião. 

terça-feira, agosto 26

Red Carpet: Video Music Awards 2014

Domingo foi dia da musica tomar conta de Hollywood. Em sua 30th edição, o Video Music Awards é o maior evento da MTV norte-americana, e, principalmente, alvo das maiores ousadias fashion do pessoal da área. Bem lógico, pois se formos pensar, existe carta-branca pra quase tudo nesse red carpet; vestidinho curto pra quem quiser ser mais descontraída, longão exuberante pra quem estiver mais afim de causar, e até macaquinho de hot-pant pras Taylor Swift´s de plantão (pois é galera, Miley fez uma careeeeta hahaha). Ousadas ou não, todo mundo teve vez no VMA 2014.

Katy Perry: Fez a Britney feat. Justin em 2001 e arrasou no look all denim. Arrasou virgula né, porque essa proposta não foi boa em 2001 e ainda não é boa treze anos depois. Se ela usou melhor que Britney? Evidentemente. Se foi uma estratégia de marketing bem pensada? Talvez. Se ela ta magérrima e o cabelo preto com franjinha incrível ta de volta? Most definetely. Agora, não me peçam pra dizer que essa produção ficou legal porque eu não irei. 
Jennifer Lopez: Parte de mim olha isso e pensa "Meu Deus, ela já ta nos quarenta e ainda se veste como se vestia durante seus vinte? Por favor...". Já a outra racíossina da seguinte maneira, "Meu Deus, ela já ta nos quarenta e ainda se veste como se vestia durante seus vinte? Arrasou!". Afinal, corpinho de dezoito com a certidão de nascimento indicando mais que o dobro não é pra qualquer uma, mas não é porque a gente tem o body esculpido por um deus grego que temos que sair semi-nuas né galera? Permaneço dividida quanto à minha opinião sobre esse look. É uma peça perigosa, sim, mas ter medo pra que? 
Iggy Azalea: Parece que vestiu o dress ao avesso. CHEAP!
Ariana Grande: Amo (e quando eu digo amo é porque eu amo mesmo ta? Nada de sarcasmo) como Ariana mistura sensualidade com inocência. Você olha pra essa carinha de anjo dela, com esse cabelão que já é marca registrada e pensa "ai getchy, que menina meiga!", ai ela aproveita desse artificio e joga uma produ super sado-masoquista Moschino dos pés a cabeça e lacra com todo mundo! Esperta demais. 
Gwen Stefani: Gostei do look, pois se existe uma maneira certa de usar calça no red carpet, Gwen sabe como é. Além do mais, adoro quando ela usa pink, acho que combina muito. 
Beyonce: Muito teia de aranha. Essa silhueta "longão body con de manga comprida" fica linda na Bey, mas dessa produ mesmo eu só curti o brinco.
Nicki Minaj: É oito ou oitocentos mesmo... Ou ta pirada no cabelo rosa vestida de Papa com um padre de tira-colo ou ta moreninha, calminha, fazendo carão no seu vestido de píton e contribuindo pra soneca da galera toda. Equilíbrio não é nome de doença não, ta Nicki? 
Miley Cyrus: Acho engraçado como ela separa seus looks "semi-bare", mega ousados e super performáticos das suas produções quase "caretas" nos red carpets. Esse conjuntinho de couro por exemplo, já vimos coisas bem mais reveladoras e ainda assim lá está ela, toda toda vestida de banco de carro.  
Taylor Swift: Mais do que qualquer coisa, achei esse look estúpido. Literalmente, no sentido denotativo da palavra, esse macaquito é estúpido. Essas letras voando soltas, esse azul bebê... tudo muito lúdico, mas no sentido "maternal" da coisa. Maaaas, como sou justa, digo logo que ta de parabéns porque a perna ta mais do que incrível e porque, mesmo usando roupa de professora do prézinho, essa bicha consegue ficar gata. 
Kim Kardashian: Do mesmo jeito que existem vestidos exclusivos para mulheres de muito busto, existem aqueles modelos que ficam melhor em meninas de seio menor. Kim, apesar de ser super avantajada, escolheu um Balmain que apenas modelos entre outras mulheres "chapadinhas" ficam bem usando. O efeito nela, ao invés de "corpão, gostosa" é "vaca leiteira", nas mais sinceras e - juro - não recalcada das opiniões. Tirando isso, acho que esse foi um dos poucos vestidos usados por ela recentemente que fizeram jus a seu corpo e realmente favoreceram sua figura. Esses pontos eu irei dar a ela. 
Kendall Jenner: Apesar de esse look ser, mais uma vez, velho demais pra ela, eu finalmente senti que Kendall está formando seu estilo. Aos poucos ela vai mostrando seus gostos fashion quanto a produções de red carpet, e a cada premiação que passa entendo um pouco mais do "Kendall style"; silhueta simples, cortes modernos e aspecto clean que são atribuidos exclusivamente a ela quando em comparação ao resto do clã Kardashian. Dessa produção em especial eu gostei, achei que a tal da simplicidade não ofuscou a "interessância". Amo calça de cintura alta fazendo macacão e gostei ainda mais quando combinada com essa blusinha transparente feat. sutiã aparecidão ostentando toda essa magreza ai. Como diria Beyonce, ta flawless
Kylie Jenner: Acho a Kylie até mais bonita que a Kendall, mas nesse look fica difícil fazer essa defesa. Posso querer ser fofa e fechar por aqui dizendo que amei o sapato? Haha, poder até posso né, mas não seria eu... Por onde começar então? Pelo amontoado de cetim preto que mais parece cortina de motel? Pelo farol aceso i-n-a-d-i-m-i-s-s-i-v-e-l? Pela fenda que nem é tão grande assim mas que ela insiste em puxar pra aumentar o decote? Vocês escolhem.
Rita Ora: Kendall Jenner versão red. A falta de paciência que eu tenho pra produções assim pode chocar vocês... 
Chanel Iman: Deusisse sem limites reinando aqui. Da pra conviver sabendo que isso vive no mesmo universo que eu senhor? Ta, o brinco ta exagerado e talvez o sapato não seja a melhor das opções, mas só o dress já elevou a conversa do VMA pra outro patamar. Vamos todas orar diante dele?
Demi Lovato: Decaindo cada vez mais no meu conceito, mas até que o vestido ta legal. Só uma coisa; eu amo o look matchy-matchy, é super anos noventa e quando feito com vermelho me faz uma referência mega Cher Horowitz a.k.a. rainha das Patricinhas de Beverly Hills. Mas vamos dosar, né? Vestido, batom, bolsa e esmalte não da.  
Fazendo aquele velho balanço geral do evento, achei que não houveram muitas falhas grandes, mas sim looks que tinham o potencial de serem incríveis mais por esse ou aquele motivo deixaram a desejar. Além disso, também acho que os stylists fizeram muitas escolhas duvidosas, quando existe uma gama imensa de opções certeiras para apostar e arrasar. Ainda assim, como tenho que escolher quem, na minha opinião, mais se destacou (no bom e no mau sentido), diria que Chanel Iman e Kendall Jenner foram as felizardas da noite, enquanto Iggy Azalea e Miley Cyrus ficaram com o lado podre da maçã.
Acho engraçado que estou postando os looks do VMA agora, quando já estão rolando pela blogosfera as produções do Emmy de ontem (emoji de risinho choroso aqui). Mas sem grilo, amanhã ou depois as famosas que compareceram à maior premiação da TV americana estarão em peso por aqui. Vamos esperar para que seja um tipo bom dele, né? Hahaha

segunda-feira, agosto 25

Tudo sobre o lindo evento da Ju Rodrigues para Contém 1g

Quarta-feira normalmente é um dia chato. Meio da semana, sem muitas novidades, uma coisa meio sem sal... Entretanto, quando surge um convite de ninguém menos que Ju Rodrigues para uma noite de doces e makes junto a todas as suas amigas bloggers, a tal da quarta já não parece assim tão ruim.
O evento foi uma delícia; nos maquiamos, tiramos dúvidas com as make up artists, comemos váários docinhos d-e-l-í-c-i-o-s-o-s da Broune (ou seria apenas eu? Haha) e jogamos muita fofoca no ar. Além de, claro, conhecer Camilla Nunes - proprietaria das lojas e quiosques Contém 1g do Park Shopping, Pátio Brasil, Taguatinga Shopping e Conjunto Nacional - e todas as gerentes e profissionais maravilhosas que realmente se importam em deixar uma mulher mais bonita.

Nas fotos: Ju Rodrigues do Moda e Consultoria Ju Rodrigues, Marcella Di Donato do Blog da Marcella Di Donato Miu Reis e Nath Braga do Contraste Glam, Mariana Carvalho do Conversa Entre Irmãs, Chris Nobrega e Michelle Moura do Balaio de Novidades, Thaís Passos do Blog Balangandãs e Elaine Bruno do Mundo Lillac
Foi um evento como poucos, sério. Uma delícia de noite embalada por mimos adorados e uma surpresa que vocês, leitoras, vão amar; para todas as minhas seguidoras do Insta (tanto o @teddyzaccara quanto o @enteddyada) a Contém 1g vai dar, além de 10% de desconto em produtos nas lojas citadas acima, uma aula de auto-maquiagem de presente! A aula tem três níveis que vão da sua escolha: iniciante, olhos e make noite. 
Vale lembrar que essa cortesia é valida apenas nas lojas e quiosques do Park Shopping, Pátio Brasil, Taguatinga Shopping e Conjunto Nacional . Ahh, e também é bom ter em mente que essa promo é valida apenas até o dia 30 de Setembro, ou seja, corram meninas!
Agradeço a Ju Rodrigues por esse convite maravilhoso e parabenizo o pessoal da Contém 1g pelo lindo trabalho que estão fazendo. Mais do que tudo, o importante é pegar uma mulher, sentar ela na cadeira e fazer ela se sentir incrível!

sábado, agosto 23

La Vie En: Gold Coast - Austrália (por Juliana Costa) #6 A Despedida

Depois de ter conseguido rastrear a Laurinha em meio a sua "volta ao mundo", agora foi a vez de ir atrás da Ju e puxa-la de volta para as páginas do blog. Foi difícil, não vou mentir, mas a palavra "difícil" ganha outros termos quando Ju a usa para explicar como foi deixar a Austrália. Esse é o tema do post de hoje. A "volta" está mais para uma despedida, o que nunca, nunca é fácil.
Mil desculpas por ter desaparecido nos últimos meses, mas o que vale é que estou aqui de volta né? Como já havia dito, depois da Austrália, iria me mudar para Washington D.C nos Estados Unidos, e cá estou. Depois vou escrever um post sobre como está sendo essa mudança e também sobre um segundo choque cultural em um ano, loucura né? kkkkk. Mas para já deixar vocês com um gostinho, estou amando demais e aposto que vocês também irão!Voltando ao assunto, o post de hoje será sobre, nada mais nada menos que minha despedida da Austrália. Posso começar dizendo que foi um dos piores sentimentos que já senti, estava deixando para trás os melhores (posso dizer) seis meses da minha vida. Porém descrever o que sentia é praticamente explicar o inexplicável. Estava feliz, por ter conhecido tantos amigos que sei que vou levar para vida toda assim como ter a sorte de ter a minha família, que me acolheu no meu tempo lá. Ao mesmo tempo, estava angustiada, sem acreditar que estava indo embora. Mas a tristeza que estava tomando pela minha cabeça, vou falar a verdade, acho que na minha última semana, pra cada lugar que eu ia, não conseguia segurar o choro. A maioria dos meus amigos que estavam indo embora sentiam a mesma coisa, parecia que estávamos deixando um pedaço de nós para trás. Não sei se vocês estão entendendo o que quero dizer kkkkk mas só quem já passou por isso entende. O pior é que na última semana eu tinha que me programar toda, para conseguir ver todos antes de ir embora. Como eu era a primeira a ir embora (infelizmente houve um problema com a minha passagem e tive que mudar em cima da hora), estava praticamente louquinha sem saber o que fazer kkk. Nos meus últimos dias, eu tentava ir para os lugares que eu mais gostava lá e é claro, com a companhia dos meus melhores amigos. Para ter uma lembrança de todos, eu comprei uma bandeira da Austrália para todos os meus amigos assinarem, o que recomendo muito pois adoro reler os recados. Na escola, tivemos uma festinha de despedida com todos os Internacionais, que foi bem legal pois também sinto muita falta dos meus amigos e professoras de lá. 
Fora da escola, eu e meus amigos decidimos fazer um churrasco, chamamos nossos amigos de várias escolas e foi bom se despedir de todo mundo junto. Já no meu último dia, saí apenas com os meus amigos mais próximos e choramos até não um pingo de água no nosso corpo kkkkk. Na hora de ir embora, escrevi m texto em inglês que vou colocar aqui. (Sei que nem todos entendem inglês mas não tinha como traduzir por que para mim não teria o mesmo significado sabe? Mas espero que entendam.) 
Time flew by and here it is, my last day in Australia. It has simply been the best time of my life. Words cannot describe what I'm feeling right now, it gives me chills just to think that in a few hours I will be seeing this city from the airplane's window and that I wont be able to come back soon. It does make me feel sad to leave, but more than that, how lucky am I to have something that makes saying goodbye so hard? And I can only smile when I look back through these 6 months. Every little aspect of this exchange, every place I've been took my breath away. I can't believe how in 166 days I learned so many things and met so many wonderful people that I know I will take with me forever. Friends that since the beginning have been there for me and became my family. We have passed through so many experiences and moments that will never leave my mind or heart. But life is made of that, ends that will turn into new beginnings, goodbyes that turn into see ya, and moments that turn into memories. And that's what Australia is all about, a memory that makes me feel happy that happened and not sad that it's over. In the end, home is where your heart is, and a piece of my heart will always be on the Gold Coast. Bye bye Australia. I will miss you 
O que posso fazer né, qualquer despedida é difícil, ainda mais para pessoas com quem você conviveu durante 6 meses e nem sabe se vai revê-los. Desculpa se eu fiz um post meio triste mas não havia outro jeito kkkkkk. Espero que tenham gostado e lembrem-se, jajá eu volto com um post sobre a minha nova vida aqui! Beijooos, Ju.

De partir o coração, né gente? Passamos esses momentos lado a lado com a Ju, tivemos um gostinho dessa experiência e acompanhamos de perto esses seis meses da vida dela na Austrália É triste dizer adeus, mas é revigorante pensar que uma nova etapa começa agora. E ai, prontas pro La Vie En Washington? 

sexta-feira, agosto 22

CFW: Backstage Marcela Botelho e um inside sobre a beauté do evento

Todo mundo sabe que, por trás de um desfile incrível e mega organizado, existe um backstage caótico e estressante onde a lei de Murphy reina e tudo parece que vai dar errado até a hora H. No CFW não é diferente. Estive dentro desse confuso mundo "do fundão" em vários momentos, mas a preparação para os desfiles dos vencedores do concurso de Novos Talentos foi a qual eu mais me estendi por lá. Tirei várias fotos, evidentemente, além de ter pegado infos com alguns dos maiores protagonistas desse fuzuê.


As fotos acima são todas do desfile da estreante Marcela Botelho, que buscou no cerrado brasileiro a inspiração para uma coleção focada principalmente para adolescentes de quinze a dezoito.
Apesar de meio babada nas internacionais Dolce&Gabbana e Valentino, além da queridinha tupiniquim Pat Bo, achei o corte e a costura de Marcela hors concours e a atenção para os detalhes realmente admirável. 
Outro grande ponto de atenção em seu desfile foram os cabelos, que me trouxeram de volta para o discurso de abertura do primeiro dia de Capital, onde foi ressaltado o trabalho do Senac na beleza do evento. As makes desfiladas deixaram a desejar, admito, mas os cabelos... Uma coisa de outro mundo. Nunca tinha visto penteados tão trabalhados fazendo o catwalk do Capital antes, logo, era de se esperar que eu fosse atrás de Marcia, diretora de beleza responsável por essas obras de arte, para entender um pouco mais do processo de criação que rola no backstage. 
Marcia contou que conta com uma equipe enorme, cheia de técnicos e supervisores preparados para garantir que todos os cabelos saíssem nada menos que perfeitos. Fiquei surpresa quando ela me contou que as tranças mega trabalhadas das fotos demoravam apenas cinco minutos para ficarem prontas, e quando perguntei sobre a dificuldade da mulher brasileira de ser auto-suficiente quanto ao seu cabelo, Marcia respondeu que nós brasileiras somos mulheres extremamente ocupadas, com pouco tempo para realmente se dedicar ao aprendizado, e por isso nos acomodamos aos salões de beleza. "No Senac nós ministramos cursos de auto-maquiagem e, com essa ideia sua, podemos pensar em fazer também cursos de auto-penteado!", disse a hair-stylist que também bota a mão na massa (mega animei! Haha).
Por fim, perguntei a ela qual combo de cabelo + maquiagem a prova de erros que é sempre sucesso, "Um preso chic, com gel e um olho nude que é tendência agora!". Arrasou né?


Cobrir o backstage é uma das minhas partes favoritas de ser blogueira no CFW. Poder estar perto das modelos, conferir os detalhes de pertinho, observar fio por fio de cada trançado de tecido... Na passarela, a roupa ta distante, a roupa passa rápido, a roupa ta morta ali na sua frente. Já na "porta dos fundos", parece que o desfile ganha vida e cada ponto-cruz mostra todo o trabalho que realmente está envolvido por trás daqueles poucos minutos de desfile.